quinta-feira, 23 de setembro de 2010

« O EQUINÓCIO DO OUTONO... EM ' PESSOA ' »

.
Uma das folhas caídas mais belas
do
Outono





.
..
CANÇÃO DE
..OUTONO


.
.

No entardecer da terra,
O sopro do longo outono
Amareleceu o chão.
Um vago vento erra,
Como um sonho mau num sono,
Na lívida solidão.


Soergue as folhas, e pousa
As folhas volve e revolve
Esvai-se ainda outra vez.
Mas a folha não repousa
E o vento lívido volve
E expira na lividez.


Eu já não sou quem era;
O que eu sonhei, morri-o;
E mesmo o que hoje sou
Amanhã direi: quem dera
Volver a sê-lo! mais frio.
O vento vago voltou.

.
















.








Fernando Pessoa
Poema publicado em 1922
no Semanário "Ilustração Portuguesa"

..nº 833.












.


.

ZECA AFONSO (em vídeo) - BALADA de OUTONO
:

.


.

"Olha... acabou o Verão!"
"... Shimmmm...!"


3 comentários:

Swt disse...

Este post está fantástico! Gosto do Outono, José Afonso é o Patrono da minha escola e, por tudo isto, acho que vou "levar" umas coisas daqui! Olhe! Mande-me prender! rsss rsss

Luisa disse...

Primavera e Outono, são as estações que mais gosto, desde que tragam uma temperatura amena.
Emocionei-me ao ouvir o Zeca.
Gostei muito do poema de Pessoa.


Deixo-te aqui um poema de Eugénio de Andrade.

Eu vi essas muralhas ruírem
sobre o rio — eram calmas as águas
de setembro, e sucessivas.

Despedia-me das folhas,
também eu preparava esse abandono
da cidade e das suas almas.

Eu vi essas muralhas.
Eram espessas broncas frias.
Ruíram, quando as olhava.

Bjs

Teresa disse...

Fernando Pessoa, sempre! Em qualquer estação do ano!
Bjs