quarta-feira, 10 de março de 2010

«POEMA que TRITURA SONHOS»




.AO
MOINHO QUE TRITURA
OS MEUS
E
OS SEUS SONHOS




.


Moinho que tritura os meus e os seus sonhos
Moinho que alimenta emoções e afina canções
Moinho novo e antigo guardados em meu peito
Moinho de papel e de pedra, meus velhos amigos
Basta um homem que conheça a força da água
Basta no máximo um rasgo no encostado da serra
Basta que seja terra baixa, terra encharcada
Basta ser terra e que tope cultivar o amor
Tem que ter homens trabalhando sempre
Com chuva, com sol, com lua e com frio
São pastos de vacas leiteiras no dia de ontem
Hoje nada, nem o bezerro, pró homem com fome
Corta o capim, tritura a cana e mistura o feijão
Carrega o burro, separa o boi e prepara o doce
Recria a rapadura, feita pelo homem mole da terra
Que matando a abelha faz a divisa do coração
É preciso exportar a gravata e amar a pata pr'a se amar
É preciso ser peão p'ra aprender a rodar e encontrar o caminho
É preciso ser ninho onde se aprende a não ser sozinho
É preciso ser a terra que bem longe da guerra ama o vizinho
Moinho que moendo o milho faz o fubá e cria a família
Moinho que do trigo faz o pão e alimenta o povo faminto
Moinho que tritura a uva e faz o alimento sagrado
Moinho que dá o emprego e a paz pro universo unido
Moinhos de fubá de Maria e muitos “nãos” antes dos “sins”
Moinhos de fazendas onde as rendas não são rendas, são roupas
Moinhos de povos pobres onde os nobres são miseráveis
Moinhos de reis holandeses tocados por ventos de todo universo
Velho moinho de milho e de energia e do progresso possível
Velho moinho feito por meu pai, meu avó e fazendeiros amigos
Velho moinho a moer as razões e os milhos de todas as paixões
Velho moinho feito com fé, baptizado na pia e crismado.




.
Imagem: seleccionada na Internet
Poema: Sem outra referência p/além da autoria de
- José M. Veríssimo [ano 2009]


Nota: Encontrou-se alguma curiosidade neste trabalho, devido à coincidência de se ter criado o MUNHO!... também com a designação oficial de Moinho de Fial.

3 comentários:

Luisa Moreira disse...

Muito bonito, o poema.

Abraços
Luisa

Moinho esbelto que nasces na paisagem
fica por aí...

Teresa disse...

Olá César
Cá cheguei, como prometi.
Achei interessantes estes posts sobre os moinhos. E também gostei de saber que foi dono de um monumento pré-histórico.
Quanto ao visual do blogue, gosto, claro! Onde é que eu já o vi?

momo disse...

Poema que tritura sueños...
Que frase.
Lo cierto es que hay tantas cosas que los trituran, por eso cada dia , voy guardando aquellos que pueden llegar a perderse.
TE ESTÁ QUEDANDO MUY CHULI, EL BLOG
BESINOS